“Pirataria de TV não é legal” é o mote da nova campanha publicitária da Associação Brasileira de Televisão por Assinatura (ABTA), com a finalidade de conscientizar a população sobre os impactos da pirataria de TV por assinatura.

Nos próximos meses, oito filmes de 30 segundos cada serão veiculados nos intervalos da programa de canais abertos e fechados de TV.

A campanha fala sobre a incoerência ética das pessoas que, ao mesmo tempo em que ensinam a seus filhos o que é certo e o que é errado, roubam sinal de TV por assinatura como se isso não fosse um ato ilícito. A narrativa é feita por crianças que comentam as contradições nas atitudes de seus pais.

A campanha foi criada pela Globo, aprovada pelo Conselho Diretor da ABTA e produzida pela Mixer. A ABTA representa as principais operadoras e programadoras de TV por assinatura no Brasil.

Sua TV por assinatura é legal? Confira.

Impactos da pirataria
de TV no Brasil

R$ 15,5 bilhões é o impacto financeiro da pirataria de TV por assinatura por ano.

Desse total, R$ 2 bilhões se referem a impostos que os governos deixam de arrecadar. (Fonte: Anatel e IBGE)

33 milhões de brasileiros ou 27,2% dos internautas com mais de 16 anos, consomem conteúdo de TV por assinatura por um ou mais meios piratas. (Fonte Mobile Time/Opinion Box, março/21)

Assista aos vídeos da campanha “Pirataria de TV não é legal”